ONGs se unem e lançam manifesto para Covid-19

Postado por COMUNICAÇÃO ASA em 22/Maio/2020 - Sem Comentários

10 ONGs se unem em busca de solidariedade e responsabilidade diante do momento da Covid-19.

A participação ativa e efetiva seja por parte da sociedade civil, das empresas ou do poder público, se faz necessária para o enfrentamento das desigualdades sociais agravadas neste conturbado cenário.

Acompanhe o manifesto redigido por: Arrastão Movimento de Promoção Humana, Associação Criança Brasil, Associação Educacional e Assistencial Casa do Zezinho, Associação Obra do Berço, Associação Santo Agostinho – ASA, Fundação Julita, Instituto Ana Rosa, Instituto Verdescola, Liga Solidária e Vocação.

ENFRENTANDO A COVID-19: SOMOS TODOS RESPONSÁVEIS

Em tempos de pandemia, que expôs de forma gigantesca e contundente o abismo social já existente e acentuou as altas taxas de mortalidade nas periferias, nós, dirigentes e gestores de Organizações Não-Governamentais, manifestamos indignação à isenção da responsabilidade de agir de grande parte da sociedade.

Por isso, nos dirigimos à sociedade civil, às empresas, ao poder público e aos meios de comunicação para convocar todos a participarem de forma mais ativa e efetiva no enfrentamento dessas desigualdades sociais agravadas neste conturbado cenário. É TEMPO DE DESENVOLVER EMPATIA E CULTURA HUMANITÁRIA EM NOSSA SOCIEDADE.

Neste momento é fundamental atuar em defesa da cidadania, da transparência na divulgação de informações e contar com a potencialidade participativa de diversos públicos para promover ações em rede. É preciso unir esforços para o enfrentamento da situação. A AÇÃO COMEÇA CONOSCO!

Juntos, já mobilizamos a doação de muitos milhares de cestas com alimentos, kits de higiene, limpeza e materiais pedagógicos. Todavia, a fome persistirá e a pandemia se alongará.

Com o isolamento e queda de rendimentos, o consumo de itens básicos para a sobrevivência está bastante afetado. Muitas famílias precisam de ajuda com alimentação e, justo quando a pandemia exige mais atenção com hábitos fundamentais para a saúde, até o simples ato de lavar as mãos pode se tornar uma tarefa impraticável para muitos cidadãos em vulnerabilidade social. Torna-se, então, imprescindível darmos continuidade às campanhas já iniciadas, para atender às necessidades mais primárias.

As limitações dessa população são muitas. Em geral, o trabalho remoto não é opção para quem mora nas comunidades periféricas da capital paulista, pois a maioria executa atividades que só podem ser realizadas presencialmente. São atividades informais e muitos não têm acesso à conexão, o que os obriga a continuar indo ao trabalho normalmente, utilizando transporte público, contrariando a recomendação da Organização Mundial da Saúde de isolamento social e se expondo mais à doença. Famílias se aglomeram em pequenos cômodos em condições precárias. Falta-lhes infraestrutura e sobram tensão, estresse e agressividade, gerando mais desarmonia familiar.

A partir desse cenário, reiteramos que não podemos parar aqui! É fundamental que ações e políticas efetivas de enfrentamento à violência doméstica, desemprego, racismo e outras questões sociais, agravadas pelo contexto da pandemia sejam pauta política e que sejam confrontadas de forma responsável, séria e eficaz pelo poder público. Lembrando que as políticas públicas, elaboradas ou aperfeiçoadas para estes fins, precisam sempre contar com a participação efetiva da sociedade civil.

Há muito para ser feito. Nós, organizações da sociedade civil, buscamos apoio urgente para encontrar soluções reais no prazo mais curto possível para a redução da desigualdade, do desemprego, da violência, da exclusão digital e contribuir para uma educação de qualidade para todos, para uma sociedade mais justa e igualitária.

Aos meios de comunicação, cabe a transparência, agilidade e eficiência na divulgação dos fatos e acontecimentos sociais, para informar e formar a opinião pública a partir dos preceitos da objetividade e ética.

A pandemia se alastra sem controle, as mortes nas periferias crescem exponencialmente e a crise econômica levará a situações ainda mais alarmantes: MAIS DESEMPREGO, MAIS FOME, MAIS DESIGUALDADES E MAIS VIOLÊNCIA. Trágico.

Por isso, convocamos você, jovens, líderes comunitários, profissionais liberais, empresários/as, jornalistas, comunicadores, poder público, todos e todas da sociedade civil a se tornar um/a agente transformador/a desta realidade.

Entre em ação contra COVID-19: seja generoso, empático, engajado, mobilize, doe, divulgue, ajude e transforme. Pois em tempos difíceis, o coletivo faz a força, faz a diferença.

Para acessar o documento original, clique aqui.

 

 

 

ASA apoia a campanha “Pode ser Abuso”

Postado por COMUNICAÇÃO ASA em 15/Maio/2020 - Sem Comentários

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. E, para alertar a população sobre esse tipo de violência, a Fundação Abrinq criou a campanha #PODESERABUSO.

Principalmente durante a pandemia do Covid-19, precisamos quebrar esse silêncio. O número de denúncias de violações, inclusive contra crianças e adolescentes, vem aumentando consideravelmente.

Essas marcas podem gerar consequências e podem traumatizar os desprotegidos pelo resto de suas vidas.

Para mais informações, acesse: http://www.podeserabuso.org.br/

Faça algo por uma criança que você conhece: Denuncie. Quebre o silêncio. Dique 100!

YouTube ASA com novidade para toda família

Postado por COMUNICAÇÃO ASA em 13/Maio/2020 - Sem Comentários

Como a sua instituição tem levado conteúdos educativos aos assistidos? Na ASA adotamos duas formas de compartilhamento: grupos no WhatsApp e YouTube.

Por conta da quarentena, adaptamos nossas atividades. Afinal, sabíamos o quão essencial era manter nosso compromisso para garantir educação e assistência a crianças e adolescentes em vulnerabilidade.

O distanciamento social e a suspensão das atividades nos CEIs e CCAs devido ao Covid-19, não nos impediram de melhorar nosso atendimento. Aproveitamos a oportunidade para produzir conteúdo de uma nova forma que fosse acessível às famílias da ASA e que, de certa forma, ajudasse outros educadores na elaboração de atividades.

A cada semana, apresentaremos vídeos com diferentes propostas, elaboradas pelos professores, socioeducadores, articuladores comunitários, orientadores de música do projeto “Música para a vida” e profissionais da saúde do CDI Lar Santo Alberto.

Gostou da novidade?

Acompanhe o YouTube da ASA pelo link: https://www.youtube.com/ASAtransforma

Projetos

Postado por COMUNICAÇÃO ASA em 28/ago/2018 - Sem Comentários

Projetos

Centros para Crianças e Adolescentes – CCA’s
O projeto Estimula Cidadania, que contou com o patrocínio da Ultragaz, foi encerrado em junho com um resultado incrível! As crianças e adolescentes, depois de observarem as comunidades e entorno dos CCAs, discutiram em pequenos grupos e definiram em assembleias ações que foram realizadas para melhorar o que não gostaram (limpeza de praças, pintura de brinquedos em praças, panfletagem para conscientização sobre riscos de uso de drogas, entre outras). Experimentaram na prática, como protagonistas pró-ativos, como exercer a cidadania.
Uma novidade trazida com esse projeto, foi o uso do Typeform, uma plataforma eletrônica para monitoramento e avaliação do projeto. Abaixo, alguns resultados apresentados pelas crianças e adolescentes sobre seu envolvimento:

 

 

 

 

 

 

Projetos Novos começando nos CCA’s
Como desdobramento do Estimula Cidadania, tiveram início os projetos complementares Cidadania e Comunidade, também com patrocínio da Ultragaz, e o Articulando Redes, patrocínio da Fundação Prada.

O Previna-se, com apoio do FUMCAD, e patrocínios das empreas Sunny International Food, Bexs Banco, Ultragaz e pessoas físicas, teve início em agosto, e conta com 3 psicólogas para oficinas sobre sexualidade, prevenção a DSTs, gravidez precoce e encaminhamentos para casos mais críticos à rede de suporte e proteção às crianças, adolescentes e famílias.
Com apoio do Condeca, o projeto Valores e Ética prevê a formação de todos os profissionais que atuam nos CCAs com Julio Neres, educador formador do CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária.

 

Centro De Educação Infantil – CEI
Nas formações mensais que acontecem todos os anos nos CEI’s, sempre houve a discussão teórica bem como a análise de situações cotidianas vividas nas unidades, de modo a construirmos uma sistemática de documentação das práticas pedagógicas.
Ao longo de 2018, a parceria com a Fundação Carlos Chagas tem promovido o aprofundando de aspectos da primeira infância na educação em reuniões quinzenais com as coordenadoras pedagógicas das cinco unidades. A proposta tem como foco a qualidade dos registros pedagógicos, de modo a documentar o trabalho realizado pelas equipes e subsidiar os processos de reflexão sobre as práticas pedagógicas e de atendimento a todas as crianças dos CEI’s.
Temas como organização dos espaços e seus mobiliários, rotinas e cuidados com o corpo, atividades pedagógicas, linguagem e interações, organização das atividades e relações entre a equipe e os pais são os eixos centrais dos encontros.
As coordenadoras fazem a mediação com os/as professores/as sobre os temas tratados, de modo que suas opiniões, dúvidas e contribuições sejam consideradas durante todo o processo e desenvolvimento da formação. As pesquisadoras/formadoras da Fundação Carlos Chagas são Ana Paula Ferreira da Silva e Eliane Bhering.

 

Centro Dia do Idoso – CDI
IV Festa Junina Beneficente
A tradicional Festa Junina do Lar Santo Alberto teve sua IV edição recheada de atrações como: barracas de brincadeiras para as crianças, comidas típicas, doces, músicas, bingo e muita solidariedade!

Tudo em prol das crianças, adolescentes e idosos assistidos pela ASA. O objetivo foi divulgar o trabalho social da ASA em toda comunidade e para as pessoas que frequentam o espaço. Além de aproximá-las do trabalho, de sua importância, a festa junina trouxe muita diversão a todos. Foi um jeito gostoso e especial de confraternização que reforçou vínculos entre famílias, assistidos e instituição. Além de ser uma forma de captar recursos aos projetos e atividades realizadas na ASA.

Trata-se de um evento solidário que só acontece com a participação de todos. Não seria possível sua realização sem a dedicação das famílias, voluntários e comunidade, que não medem esforços para o sucesso do evento.